terça-feira, 18 de abril de 2017

Vassula Ryden é uma falsa profeta?


Amigos, 

Devido ao grande número de pessoas que possuem dúvidas com relação à veracidade das Mensagens de Jesus transmitidas por Vassula, resolvi pesquisar o assunto à fundo e descrever cronologicamente uma lista de acontecimentos que ajudarão o próprio leitor a esclarecer possíveis mal entendidos quanto às mensagens. 

O propósito dessa cronologia não é o de fazer uma propaganda barata a favor ou contra a Sra. Vassula Rydén (lê-se ridén), mas o de oferecer uma compreensão clara, equilibrada e detalhada do progresso e resultado desse diálogo com a Igreja à luz de acontecimentos verdadeiros. 

Me comprometo aqui a apresentar todos os fatos e informações baseados em evidências e não em meditações pessoais ou opiniões particulares. Pode acontecer de em algumas citações, haver uma opinião de determinada pessoa, porém, farei sempre de modo que o leitor encontre as devidas referências e ao final do documento todas as bibliografias do que aqui foi apresentado.

INTERNET  E PRINCIPAIS CONSIDERAÇÕES
Em primero lugar, fazendo uma pesquisa pelo nome de Vassula Ryden na Internet, podemos encontrar muito material a favor e contra as mensagens que Vassula escreveu, o que, obviamente, gera muita confusão nos leitores ou nas pessoas que já ouviram falar bem ou mal dela. Um dado fatídico com que me deparei é que a maioria das pessoas que criticam Vassula, ou seja, as que a consideram como falso profeta ou herege, citam sempre a notificação de 1995 feita pela Vaticano desaconselhando a leitura de seus livros, sem porém, aprofundarem-se mais no assunto e ignorando os demais acontecimentos após a notificação. Tal omissão, pode levar a uma falsa imagem onde realmente queremos chegar: na clareza e veracidade por parte do leitor sobre a autenticidade ou não das mensagens que Vassula diz receber de Jesus.

Se persarmos bem, esse discernimento é de suma importância, pois se é Jesus falando através dela e se estamos ignorando Suas Mensagens, Avisos ou condenando uma Mensageira Sua podemos estar cometendo um grave pecado contra o Espírito de Deus, e que neste caso, como o próprio Jesus nos disse na Bíblia, não será perdoado (Mt 12, 31). Além disso toda a profecia deve ser analisada à Luz do Espírito e não por impulsos emocionais, sejam eles de raiva, carência ou apatia. 

Por último, ignorar as profecias é ignorar o próprio Deus. Por esta razão São Paulo falou certa vez à comunidade dos Tessalonissensses: "Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem." 1Ts 5,19-21

Os livros que Vassula escreveu como sendo mensagens de Jesus formam ao todo 12 volumes (na edição portuguesa) e têm o nome de “A Verdadeira Vida em Deus – encontros com Jesus”. A editora Boa Nova é quem publica seus livros e só podem ser adquiridos entrando em contato direto com a editora.

Mais recentemente, uma edição única com todos os livros foi lançada.


Sobre Vassula Rydén
Vassula Rydén é Grega, nascida no Egito, pertence a Igreja Grego-Ortodoxa. Segundo ela, Deus a reconduziu, em 1985, quando vivia em Bangladesh, de modo muito extraordinário para usá-la como Seu instrumento e confiar-lhe Suas mensagens para toda a humanidade. Desde 1988 Vassula tem sido convidada para falar em 60 países e fez mais de 700 apresentações. Ela não recebe em todo esse trabalho, nenhum pagamento, de honorários, royalty ou benefício pessoal por seus esforços. Até agora os livros foram traduzidos em 40 línguas. Onde quer que seja convidada, seja na Ásia, nas Américas, Austrália, África ou Europa, ela é acolhida por grande número de pessoas de todas as idades, de todas as classes ou ambientes sociais imagináveis, tanto Cristãos como não Cristãos. Entre aqueles que vem ouvir seu testemunho não estão apenas leigos, mas também seus líderes espirituais e a hierarquia. Outras religiões, como os Judeus de Israel e monges Budistas de Hiroshima e Bangladesh convidaram-na para dar seu testemunho. O comparecimento aos seus encontros alcançou mais de 150.000 pessoas entre eles, em alguns países, havia Muçulmanos, Hindus, Budistas e Judeus. 

 Desde Maio de 2002, Vassula foi convidada a dar seu testemunho em encontros inter-religiosos. O primeiro deles foi em Dhaka onde a abertura foi feita por um Imã Muçulmano.

Posteriormente ela foi convidada pelo Arcebispo de Tapei, Joseph Ti-Kan a fazer uma palestra para não Cristãos. As palestras de Vassula sobre reconciliação e unidade começaram a ser conhecidas e apreciadas entre os não Cristãos. Em fevereiro de 2003 foi convidada pelo Venerável Suddhananda ao seu mosteiro em Dhaka, para honrá-la com o Prêmio de Ouro da Paz pelos seus esforços de propagação da paz no mundo. Ela foi indicada para esse prêmio da paz pelos monges Budistas como distinta personalidade em reconhecimento de sua grande contribuição e seus esforços para estabelecer harmonia inter religiosa e promover a Paz no mundo entre todas as pessoas e credos. Após uma visão de Nossa Senhora, Vassula foi solicitada por ela a também dar de comer ao pobre pois o alimento espiritual não era suficiente (Site TLIG.ORG). 

Desde então, diversas casas, chamadas Beth Myriam (Casa de Maria), foram inauguradas pelos amigos das mensagens para alimentar os pobres. Estas casas estão progredindo para também oferecer escolas para as crianças pobres. Agora existem duas delas nas Filipinas, no Egito, em Bangladesh, na Terra Santa, 3 na Venezuela, 3 no Brasil, um orfanato no Kenya e ajuda também é dada a 600 órfãos Budistas em Dhaka. (BETH MYRIAN)

Cronologia dos Fatos

Ano 1995
Uma notificação é emitida pelo Vaticano sobre os escritos de Vassula. A notificação de 1995 foi uma espécie de aviso e não uma condenação da Santa Igreja para que os fatos e as mensagens trasmitidas por Vassula fossem melhor estudas antes que virassem um confusão no meio cristão (fato esse que será confirmado pelo Cardeal Ratzinger posteriormente).

Na notificação constava o seguinte:

“Muitos bispos, sacerdotes, religiosos, religiosas e leigos se dirigem a esta Congregação para ter um juízo autorizado sobre a actividade da Senhora Vassula Ryden, greco-ortodoxa, residente na Suíça, que está a difundir nos ambientes católicos do mundo inteiro, com a sua palavra e com os seus escritos, mensagens atribuídas a presumíveis revelações celestes.Um exame atento e sereno da inteira questão, realizado por esta Congregação em ordem a «pôr à prova as inspirações para verificar se provêm verdadeiramente de Deus» (cf. 1 Jo. 4, 1), fez notar – ao lado de aspectos positivos – um conjunto de elementos fundamentais, que devem ser considerados negativos à luz da doutrina católica.Além de evidenciar o carácter suspeito das modalidades com que acontecem essas presumíveis revelações, é imperioso ressaltar alguns erros doutrinais nelas contidos.Entre outras coisas, com uma linguagem ambígua fala-se da Pessoa da Santíssima Trindade, até confundir os específicos nomes e funções das Pessoas Divinas. Preanuncia-se nessas presumíveis revelações um iminente período de predomínio do Anticristo no seio da Igreja. Profetiza-se em chave milenarista uma intervenção resolutiva e gloriosa de Deus, que estaria para instaurar sobre a terra, antes ainda da vinda definitiva de Cristo, uma era de paz e de bem-estar universal Anuncia-se, além disso, o futuro próximo de uma Igreja que seria uma espécie de comunidade pancristã, em contraste com a doutrina católica.O facto de nos escritos posteriores da Senhora Ryden os mencionados erros já não aparecerem, é sinal de que as presumíveis «mensagens celestes» são apenas fruto de meditações privadas.Além disso, a Senhora Ryden, participando habitualmente nos sacramentos da Igreja católica, embora seja greco-ortodoxa, suscita em diversos ambientes da Igreja católica não pouca admiração, parece pôr-se acima de qualquer jurisdição eclesiástica e de todas as regras canónicas e cria, de facto, uma desordem ecuménica, que irrita não poucas autoridades, ministros e fiéis da sua própria Igreja, colocando-se fora da disciplina eclesiástica da mesma.Considerando que, não obstante alguns aspectos positivos, o efeito das actividades exercidas por Vassula Ryden é negativo, esta Congregação solicita a intervenção dos Bispos, a fim de que informem adequadamente os seus fiéis, e não seja concedido nenhum espaço no âmbito das próprias dioceses à difusão das suas ideias. Convida, por fim, todos os fiéis a não considerarem como sobrenaturais os escritos e as intervenções da Senhora Vassula Ryden, e a conservarem a pureza dá fé que o Senhor confiou à Igreja.” (VATICANO, 1995)

A partir desse ano houve um frenesi quanto às mensagens de Vassula. A própria livraria católica Paulinas, por exemplo, vendia seus livros e depois desse ano os retirou de venda por entender que não eram mais aprovados pela igreja católica. Muitas pessoas que gostavam das Mensagens e as vivenciavam pararam de ler esses livros. Aos difusores assíduos das Mensagens foi um verdadeiro banho de água gelada sobre suas cabeças. Tudo parecia ter desmoronado e assim ficou até 1998.

Ano 1998
Neste ano, o professor de teologia, Niels Christian Hvidt da Pontifícia Universidade Gregoriana, fazendo sua tese de doutorado sobre Profecia Cristã (OXFORD PRESS, 2007), consegue uma audiência com o Cardeal Ratzinger. Durante sua entrevista cita o nome de Vassula e pergunta ao Cardeal sobre a posição da igreja após a notificação. Veja o diálogo:

“Quando lhe fiz a última pergunta sobre a Sra. Rydén, sua voz mudou repentinamente, levantou os braços e exclamou: “Oh, esse é um assunto amplo e problemático. Talvez seja melhor deixá-lo por enquanto!” Me permiti insistir perguntando: “Dizem que a Sra. Rydén foi condenada pelo Vaticano. Isso é verdade?” 

Sua resposta foi imediata: “Não, não é verdade. A Notificação é uma advertência, não uma condenação. Do ponto de vista estritamente processual, ninguém pode ser condenado sem um julgamento e sem que lhe seja dada antes a oportunidade de expor suas ideias. O que nós dizemos, é que há alguns elementos apocalípticos discutíveis e aspectos eclesiológicos que não estão claros. Seus escritos contêm muitas coisas boas, porém o trigo e o joio estão misturados. Por isso convidamos os fiéis Católicos a verem tudo com uma visão prudente e a medirem com a régua da fé permanente da Igreja.” 

Perguntei: “Continua o procedimento para esclarecer a questão?” 

O Cardeal Ratzinger respondeu: “Sim, e durante o processo de esclarecimento os fiéis devem ser prudentes, mantendo uma atitude de discernimento. Não há dúvida de que existe uma evolução nos escritos que parece não terem sido concluídos ainda. Devemos lembrar que, ser capaz de colocar em palavra e imagem o contato interior com Deus, mesmo nos casos de autêntico misticismo, sempre depende das possibilidades da alma humana e de suas limitações. A confiança sem limites só deve conceder-se à autêntica Palavra da Revelação que encontramos na fé transmitida pela Igreja.” (30Giorni, 1999)

Ano 1999
O professor Niels Christian Hvidt, em 01/06/1999, consegue nova audiência com o Cardeal Ratzinger, numa missa matinal, e pergunta ao Cardeal se estaria disposto a encontrar-se com a Sra. Vassula Rydén. Com muita calma respondeu que isso não seria possível por enquanto, devido à situação que se havia criado depois da Notificação de 1995. Não obstante, disse que gostaria que ela se encontrasse com seu secretário, o então Arcebispo Tarcisio Bertone, S.D.B., atualmente Cardeal e Secretário de Estado do Vaticano. O professor deveria então encontrar-se com o o subsecretário na ocasião, o P. Gianfranco Girotti, número três da Congregação para a Doutrina da Fé (CDF), para organizar a reunião. 

Este encontro aconteceu umas semanas mais tarde. O professor falou sobre a situação com a Notificação. O Arcebispo Bertone sublinhou que o Vaticano estava sempre interessado no diálogo e que isto se aplicava também à Sra. Rydén. Pediu que, por enquanto, os detalhes de uma possível reunião com a Sra. Rydén se mantivessem confidenciais. (HVIDT, 1999)

Ano 2000
O professor Niels Christian Hvidt entra em contato com Vassula e lhe fala sobre a audiência que teve com o Cardeal e a possibilidade de um diálogo entre ela e a CDF. Vassula envia então uma carta à CDF em 06/07/2000, com o pedido oficial para estabelecer um diálogo com a Congregação.

Ano 2001
Em 14/02/2001 acontece o primeiro encontro entre a Sra. Rydén e as autoridades do Vaticano.

O professor Niels Christian Hvidt relata o encontro:

“Estávamos presentes o Arcebispo Bertone, o P. Girotti, a Sra. Rydén e eu. A reunião aconteceu na residência pessoal do Arcebispo Bertone. A conversa foi cordial e informal. O arcebispo Bertone perguntou à Sra. Rydén sobre seus antecedentes, o trabalho de seu marido no Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FAO) e, naturalmente, sobre sua experiência. 

Nesta reunião se acordou que a Sra. Rydén entraria em diálogo formal com a CDF. Para isso seriam nomeados consultores para ler e avaliar os escritos da Sra. Rydén, intitulados A Verdadeira Vida em Deus (AVVD), e todas as ações subsequentes se baseariam em suas conclusões. Uma das considerações do Arcebispo Bertone era a de que havia erros na tradução italiana e que era preciso cuidar dela, com o que a Sra. Rydén concordou. 

Seguiu-se uma conversa informal sobre o apostolado da Sra. Rydén. O Arcebispo Bertone pareceu impressionado, dizendo que lhe parecia como uma missão e que a Sra. Rydén era “um apóstolo” nos círculos diplomáticos. A Sra. Rydén lhe contou como recebeu as mensagens como locuções.“ (HVIDT, 1999)

Ano 2002
Em 04/04/2002, a Sra. Rydén recebeu uma carta do Pe. Prospero Grech, professor de Teologia Bíblica no Pontifício Instituto Augustiniano. O Pe. Prospero escrevia que tinha sido encarregado pelo Cardeal Ratzinger de fazer cinco perguntas a ela, com o fim de dar-lhe “a oportunidade de esclarecer o significado de certas afirmações contidas” nos escritos. A Sra. Rydén se reuniu com o Pe. Grech e com o professor Niels para melhor definir como a CDF queria que ela respondesse (TLIG.ORG, 2003). 
Vassula pôs-se a trabalhar nas respostas. O Pe. Grech lhe pedia em sua carta que consultasse teólogos para que lhe ajudassem a formular suas ideias, e assim, ela pediu-me, bem como a Dom Eleutherio Fortino, do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos e ao Bispo Julio Terán Dutari, de Quito, Equador. 

Em 26/062/002 as respostas da Sra. Rydén foram apresentadas em forma de carta datada de 6 de Julho de 2002. Foi permitido ao Pe. Grech ver suas respostas antes de serem apresentadas. Qualificou-as de “excelentes” (HVIDT, 1999).

Ainda em setembro de 2002, depois do fim do verão, e voltando a Roma, o profesor Niels encontra o Cardeal Ratzinger conforme narra abaixo:
“Mais uma vez fui à Missa matutina em Campo Santo. Ali encontrei o Cardeal Ratzinger. Ele veio a mim espontaneamente e exclamou em alemão: "Ah! Die Vassula hat ja sehr gut geantwortet". Em português: “Ah! Vassula respondeu muito bem!” Claramente estava muito feliz com suas respostas e não se abstinha de expressar esse contentamento. Todavia, não aconteceu nada até 2003, quando a Sra. Rydén escreveu de novo ao Cardeal Ratzinger.“ (HVIDT, 1999).

Ano 2003
Em 2003 não existiram muitos progressos. Nenhuma nova notificação foi emitida a favor de Vassula e Vassula continuava sendo perseguinda e caluniada como por exemplo, pelo Pe. François Dermine, que já a havia desacreditado antes, dizendo que tinha sido “condenada” pelo Vaticano. 

Palavras do profossor Niels:
“Passaram-se os meses. Encontrei-me frequentemente com o Cardeal Ratzinger, Dom Clemens e, mais tarde, com Dom Georg Gänswein, que assumiu a função de secretário do Cardeal Ratzinger depois de Dom Clemens, e com outros familiarizados com o processo, e repetiam sempre: “As pedras de moinho moem lentamente no Vaticano”. Dom Gänswein me dizia que devíamos ter paciência a fim de não provocar nenhum dos envolvidos no processo, e o próprio Cardeal Ratzinger me disse que, apesar de ele querer ver uma nova Notificação, tinha que “obedecer aos cardeais”. Deduzi desta declaração que alguns cardeais eram contra a perspectiva de um resultado claramente positivo do diálogo com uma mística contemporânea, resultado que poderia derivar em uma nova Notificação que tornaria obsoleta a anterior.“ (HVIDT, 1999).

Ano 2004
Com se não houvesse mais respostas ou pronunciamentos com relação ao processo de Vassula Ryden pelo Vaticano, Vassula escreve carta ao cardeal Ratzinger expressando sua decepão pela falta de resposta: 

“O senhor deve compreender se agora me pergunto: Qual era então, todo o propósito do procedimento? O senhor disse na entrevista a 30 Giorni, com Niels Christian Hvidt, que uma pessoa não pode ser condenada sem um processo. Estou condenada ou estou inocentada e não fui considerada culpável? O juiz e o júri de qualquer tribunal pronunciariam o veredito. Porém, aqui parece que o juiz e o júri abandonaram seus assentos. Ninguém no mundo inteiro saberá que o senhor escreveu a umas tantas Conferências Episcopais… Trabalhar para Cristo tem seus sofrimentos, bem como suas graças, porém creio que aumentar desnecessariamente minhas provas irrita a Deus. 
Portanto, com a mesma confiança que sempre tive em Vossa Eminência, lhe peço encarecidamente: Por favor, dê-me algum tipo de escrito de sua parte, mesmo que apenas uma carta que produza um espírito positivo para que as pessoas vejam que suas conclusões não foram negativas. Ademais, eu tinha entendido que teria a honra de vê-lo quando o processo terminasse. Continuo desejosa de encontrar-me com você pessoalmente e lhe peço uma audiência.” (HVIDT, 1999).

Em 10 de julho de 2004 o Cardeal Ratzinger finalmente envia carta assinada para alguns Presidentes de Conferências Episcopais Católicas que expressaram particular interesse por Vassula e seus escritos. Sua Eminência explicou-lhes em sua carta que a posição da CDF para com Vassula e seus escritos foi modificada.

Esta nova carta da CDF às Conferências Episcopais, acima mencionada, continha a seguinte informação: 

“Como é do conhecimento de V. Ema./Exa. Revma., em 1995 esta Congregação publicou uma Notificação sobre os escritos da Sra. Vassula Rydén. Posteriormente, a pedido da mesma, houve um minucioso diálogo. Ao fim do qual a referida Vassula Rydén – em carta datada de 4 de abril de 2002, publicada em seguida no último volume de “A Verdadeira Vida em Deus”, forneceu úteis esclarecimentos a respeito de sua situação conjugal, bem como sobre algumas dificuldades que, na citada Notificação, haviam sido levantadas com relação aos seus escritos e à sua participação nos sacramentos. 

Tendo em vista que, no país de V.Ema./Exa. Revma., houve uma certa difusão dos escritos em questão, esta Congregação considerou útil informar-lhe o exposto acima. Ao mesmo tempo, será necessário convidar os fiéis, com relação à participação nos grupos de oração de caráter ecumênico organizados pela Sra. Vassula Rydén, a seguir as disposições dos Bispos diocesanos.” (CDF, 2004)

Quando ao Cardeal Ratzinger foi perguntado, "o que a CDF dirá a alguém que perguntar se a notificação é ainda válida?" sua resposta foi: 

"A situação foi modificada" (TLIG.ORG, 2005).

Repara-se aqui que o Cardeal Ratzinguer não quis ir de encontro à posição contrária de alguns Cardeais na Notificação de 1995, mas deixou que as próprias respostas de Vassula fossem sua defesa quando aos questionamentos desses Cardeias contrários a ela.

Ano 2005
Nesse ano o Arcebispo de Lipa, Ramon C. Arguelles, concedeu o Imprimatur ao livro de tradução em inglês contendo todos os volumes da mensagem, e o Bispo de Jamshsedpur Felix Toppo, S.J.,DD concedeu o Nihil Obstat à mesma versão.

Posteriormente, no Brasil , o bispo auxiliar de Brasília Dom João Evangelista Martins Terra escreveu sobre o mesmo assunto:


Ano 2010
Em 2010, o mesmo bispo Ramon, redige carta encorajando os demais bispos sobre a importância dessas Mensagens e como elas têm conduzido as pessoas a se reencontrarem com Deus: 


Ano 2012
Finalmente, em 2012, a falsa notícia que Vassula havia sido excomungada pela Igreja Ortodoxa, é desmentida em publico: 
Detalhes em :


Dias Atuais e CONCLUSÃO
Durante os últimos anos houve uma progressiva comunicação entre a Congregação para Doutrina da Fé (CDF) e Vassula. Essa comunicação modificou a situação que emergiu após a Notificação publicada pela CDF em 1995. A pedido do Prefeito da CDF, S.Ema. Cardeal Joseph Ratzinger, o diálogo entre Vassula e a CDF foi publicado nas últimas edições da AVVD pelo mundo todo. A publicação desse diálogo resultou em uma carta de 10 de julho de 2004, assinada pelo próprio Cardeal Ratzinger para alguns Presidentes de Conferências Episcopais Católicas que expressaram particular interesse por Vassula e seus escritos. Sua Eminência explicou-lhes em sua carta que a posição da CDF para com Vassula e seus escritos foi modificada. O Cardeal deseja que todos leiam as questões que foram feitas a Vassula e as suas respostas que você pode ver aqui.
Carta do Cardeal Ratzinguer sobre a "nova" posição da Igreja após a notificação.Veja detalhes em http://www.tlig.org/pg/pgcdf3.html.

RESUMO
Em 1995, houve a notificação contrária aos escritos sem assinatura de nenhuma autoridade Eclesiática, o que é, no mínimo, muito estranho.

Em 1999, o Papa Emérito Bento XIV (na época ainda com o prefeito da Sagrada Congreção pra Doutrina da Fé (CDF) declarou que a notificação não era uma condenação à Vassula e/ou aos escritos.

Em 2003, o Vaticano enviou carta à Vassula pedindo melhores esclarecimentos sobre as Mensagens (uma forma de dizer que fizeram juízo errado antes e que agora gostariam de averiguar melhor) Detalhes em: http://www.cdf-tlig.org/introductionpg.html e

Em 2004, após resposta da Vassula, o Cardeal Ratzinguer enviou notificação aos bispos de que as questões levantadas na notificação haviam sido esclarecidas, mostrando-se favorável aos seus escritos. Detalhes em: http://www.tlig.org/pg/pgcdfratzorig.html e

Em 2005, as Mensagens de Vassula recebem o Imprimatur e o Nihil Obstat outorgados pelo Bispo Lipa, Ramon C. Arguëlles, DD,STL e Bispo de Jamshsedpur Felix Toppo, S.J.,DD

Em 2010, o mesmo bispo Ramon, redige carta encorajando os demais bispos sobre a importância dessas Mensagens e como elas têm conduzido as pessoas a se reencontrarem com Deus: 

Em 2012, a falsa notícia que Vassula havia sido excomungada pela Igreja Ortodoxa, é desmentida em publico: 

Referências Bibliográficas

(BETH MIRIAN)


(HVIDT, 1999)



(TLIG.ORG, 2003)
Correspondência entre Vassula e a Congregação para a Doutrina da Fé (Abril/Junho 2002).http://www.tlig.org/pg/pgcdf.html


(30Giorni, 1999)
Das Problem der christlichen Prophetie. Interview mit Kardinal Joseph Ratzinger 

(TLIG.ORG, 2005)
Modificação pela Congregação para a Doutrina da Fé sobre a situação de A Verdadeira Vida em Deus.http://www.tlig.org/pg/pgcdf3.html

Nenhum comentário: